O valor mediano de avaliação bancária subiu 13 euros em abril face ao mês anterior.

O valor considerado para a concessão de crédito à habitação em Portugal voltou a subir no mês de abril, para um novo máximo histórico, com o valor mediano de avaliação bancária a atingir os 1.200 euros por metro quadrado.

Segundo o INE, este valor registou uma subida de 13 euros face ao mês anterior, e de 8% face a abril de 2020, num período em que o número de avaliações bancárias consideradas foi de 28.000, mais 29,6% que no período homólogo.

O maior aumento em cadeia do mês registou-se na madeira, de 2,3%, e o Alentejo registou a única descida, de -0,5%. Face ao período homólogo. A maior subida registou-se no Norte, com 7,9%, e a menor nos Açores, com 3,6%.

No que diz respeito aos apartamentos, o valor mediano de avaliação bancária foi de 1.314 euros/m², mais 8,6% face a abril de 2020. O valor mais elevado registou-se na Área Metropolitana de Lisboa, que se fixou nos 1.582 euros/m², e o mais baixo no Alentejo, com 853 euros/m². O Norte registou a maior subida dos valores, de 9,1%, e o Alentejo novamente a única descida, de -0,6%.

Face ao mês anterior, o valor de avaliação subiu 1,1%. Os Açores registaram a maior subida, de 3,3%, e o Alentejo a única descida, de 2%.

Já o valor mediano de avaliação das moradias fixou-se em abril nos 1.000 euros/m², mais 6,5% face a abril de 2020. O Algarve e a Área Metropolitana de Lisboa registaram os valores mais elevados do país, de 1.621 euros/m² e 1.581 euros/m². O centro registou o valor mais baixo, de 820 euros/m², e o Alentejo a maior subida, de 12,6%.

Face ao mês anterior, foi a AML que registou a maior subida, de 1,9%. A maior descida foi registada no Algarve, de -1,4%.