As novas necessidades da procura ou a maior profissionalização do arrendamento são fatores que explicam porque é que construir para arrendar poderá continuar a ganhar presença no setor imobiliário.

Oconstruir para arrendar ou Build to Rent, tem vindo a se firmar como uma das principais tendências do setor imobiliário. Este fenómeno, baseado na construção de casas de arrendamento, atua no mercado espanhol e inglês, há vários anos. No entanto, em Espanha começou a ocupar um lugar central, há dois anos, atraindo a atenção desde investidores e construtoras, passando por entidades de serviços imobiliários, até fundos de investimento, revela o Observatorio Inmobiliario, na sua página oficial.

De acordo com os últimos dados de mercado, o investimento em Built to Rent em 2020, ultrapassou os valores de 2019, situando-se entre 1.500 e 2.000 milhões de euros. E o atual contexto imobiliário apresenta peculiaridades que farão desta fórmula uma das principais protagonistas do setor imobiliário.

Para provar isso, refere o jornal espanhol especialista no setor imobiliário, a imobiliária Solvia apresentou seis motivos que explicam porquê que esta fórmula poderá continuar a ganhar presença no setor.

Mudanças sociológicas

As novas gerações do mercado de trabalho procuram a mobilidade de emprego e fogem de qualquer vínculo que os impeça de ter flexibilidade na tomada de decisões, fazendo do mercado de arrendamento a sua primeira escolha. Estas novas tendências juntam-se a outras mudanças nos hábitos socioculturais, como o aumento das famílias monoparentais.

O novas necessidades de trabalho vai ao encontro das necessidades de habitação de atualidade

Entre os requisitos quando se procura uma propriedade prevalecem agora uma maior sensação de espaço, acabamentos de qualidade, eficiência energética, áreas de jardim, terraços ou espaços exteriores, entre outros. E uma área dedicada ao trabalho, também.

De acordo com o Banco de Espanha, as mudanças na procura de casas maiores e exteriores estão a contribuir para o maior dinamismo do novo trabalho.

Rentabilidade a longo prazo e menor risco de negócio

Embora a construção para arrendar seja menos rentável a curto prazo em comparação com a venda de construção, oferece retornos interessantes a longo prazo.

Além disso, tem um menor risco comercial. No caso dos promotores, porque a venda ao investidor ou fundo que financia o projeto já está arranjada antecipadamente. E, do ponto de vista do investimento, porque elimina a incerteza de se essas casas vão ou não ser vendidas, explica o Observatorio Inmobiliario, segundo dos mesmos dados da Solvia.

Dinamizador do mercado residencial

Não só irá reavivar a promoção de habitações de arrendamento, como também ajudará a colocar os terrenos públicos no mercado através de fórmulas mistas, note-se.

Desta forma, poderá ajudar a superar a escassez de oferta de habitação em alguns pontos e a responder à procura de um amplo coletivo.

Alternativa para uma parte do processo

A Construção para Arrendar é uma alternativa que não querem desistir de usufruir da qualidade de uma nova casa, e que em breve esperam ter acesso a ela em regime de imóveis.

Necessidade de maior profissionalização das rendas

A oferta de arrendamento, maioritariamente de natureza particular, exige agora uma maior profissionalização para se adaptar às necessidades e expectativas dos inquilinos, que necessitam de melhor serviço e atenção, bem como de maiores facilidades de acesso à habitação.