A taxa de juro implícita dos contratos de crédito à habitação desceu em Abril pelo oitavo mês consecutivo, atingindo o novo mínimo histórico de 0,826%, divulga hoje o Instituto Nacional de Estatística – INE.

O valor apresentado em Abril foi inferior em 1,5 pontos base (p.b.) ao registado no mês anterior. Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro foi 0,655% (0,705% no período precedente).

Para o destino de financiamento Aquisição de Habitação, o mais relevante no conjunto do crédito à habitação, a taxa de juro implícita para o total dos contratos desceu para 0,844% (-1,4 p.b. face a Março). Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro fixou-se em 0,652%.

Valor médio da prestação subiu três euros

Considerando a totalidade dos contratos, o valor médio da prestação subiu três euros, para 231euros. Deste valor, 38 euros (16%) correspondem a pagamento de juros e 193 euros (84%) a capital amortizado. Nos contratos celebrados nos últimos três meses, o valor médio da prestação desceu 22 euros, para 276 euros.

Capital médio em dívida

O INE avança ainda que em Abril, o capital médio em dívida para a totalidade dos contratos subiu 244 euros face ao mês anterior, fixando-se em 55 915 euros. Para os contratos celebrados nos últimos três meses, o montante médio do capital em dívida foi 114 752 euros, mais 926 euros que em Março.